Transplante capilar antes e depois: o que muda na rotina?

De acordo com a Revista Brasileira de Cirurgia Plástica, o implante capilar é uma técnica que surgiu no período da Segunda Guerra Mundial, no Japão, e é utilizada até hoje. O procedimento é a salvação para quem sofre com problemas de calvície. Entretanto, um dos maiores questionamentos dos pacientes é sobre como fica a rotina com o transplante capilar antes e depois.

Certamente, antes de realizar o procedimento é comum que surjam muitas dúvidas. Além disso, a falta de informação e alguns mitos podem confundir pacientes que procuram as clínicas com a finalidade de corrigir esse incômodo que atinge em cheio a autoestima, especialmente dos homens. Portanto, neste artigo você vai descobrir como é a rotina do transplante capilar antes e depois da cirurgia

O que é o transplante capilar?

Antes de tudo, precisamos explicar o que é e como funciona o transplante capilar. A técnica consiste na retirada de folículos capilares de áreas saudáveis do couro cabeludo para que sejam transplantadas às regiões de rarefação.

As técnicas mais utilizadas são a FUE (Follicular Unit Excision) e FUT (Follicular Unit Transplant) por serem mais seguras e por trazerem resultados mais naturais que as demais. 

solicite um contato

Para fazer a escolha, é importante que a calvície já esteja estabilizada, sem uma queda contínua. Assim, o paciente não terá nenhuma surpresa desagradável no pós-cirurgia. 

Follicular Unit Excision (FUE)

É a retirada de folículos que, em seguida, são separados um a um em pequenos enxertos. Para que não provoque rarefações em áreas saudáveis, o cirurgião faz uma pequena conta: retira uma unidade capilar a cada cinco. Com isso, a diferença na densidade local fica imperceptível.

Como a técnica FUE consiste na retirada de folículo por folículo, ela é ideal para pequenas áreas de rarefação já estabilizadas. Além disso, exige a raspagem dos fios. Portanto, não é a ideal para quem gosta de utilizar o cabelo no comprimento longo. Por fim, é uma técnica também adequada para quem fez procedimentos que deixaram o couro cabeludo com pouca elasticidade.

Follicular Unit Transplant (FUT)

A segunda técnica trabalha com a remoção de uma faixa do couro cabeludo de uma área em que os fios não tenham sido afetados pela calvície. Então, o corte é fechado, formando uma cicatriz linear que costuma ir de orelha a orelha. Depois, esses folículos serão separados por microscópio, e o cirurgião escolherá as melhores unidades capilares para reimplantá-las na área calva.

A FUT é mais indicada, sobretudo, para grandes áreas onde ocorrem a queda de cabelo. A cicatriz é maior, mas será coberta pelos fios — principalmente se o paciente tiver o hábito de mantê-los mais compridos. O tempo de repouso do paciente é maior: é preciso ficar um mês longe de atividades esportivas.

Rotina do transplante capilar antes e depois

Os pacientes que desejam passar por um procedimento como este precisam entender como funciona a rotina do transplante capilar antes e depois. São pequenos cuidados a serem tomados que contribuem para que o procedimento seja um sucesso do início ao fim.

Antes do procedimento

Antes de realizar o transplante capilar, o paciente precisa passar por uma avaliação completa com um cirurgião plástico ou dermatologista. Alguns exames serão solicitados — por exemplo, um hemograma para checar a saúde geral do paciente e ter certeza de que ele está apto para a cirurgia.

Também serão feitas algumas recomendações sobre como se preparar para o procedimento, incluindo orientações sobre o que comer e beber, além de algumas vitaminas e medicamentos. Por isso, é de extrema importância que o paciente seja sincero e relate tudo o que faz parte de sua rotina normal.

Confira algumas orientações pré-cirurgia de transplante capilar:

  • evite fumar por 14 dias. As substâncias tóxicas do cigarro atrapalham a cicatrização. Quanto mais tempo sem absorvê-las, mais livre seu organismo estará dessas toxinas;
  • evite bebidas alcoólicas por, no mínimo, 3 dias. Apesar de não ser tão nocivo quanto o cigarro, o álcool também atrapalha a circulação sanguínea e o sistema imunológico;
  • pacientes com o hábito de tingir os fios devem ter um intervalo mínimo de 3 dias entre a última coloração e o transplante. Ele poderá pintar novamente 3 semanas após a cirurgia;
  • corte o uso de anti-inflamatórios, antialérgicos e anticoagulantes dois dias antes da cirurgia;
  • no dia do transplante, não utilize gel ou creme no cabelo, nem faça exercícios físicos.

Após a cirurgia

Assim como ocorre com qualquer cirurgia, após o transplante capilar o médico fará algumas recomendações ao paciente, que incluem dormir com a cabeça elevada durante os três primeiros dias após o procedimento. Aliás, isso garante que a força da gravidade melhore a drenagem venosa, contribuindo para a redução do edema pós-operatório.

O paciente também deve retornar ao consultório para fazer a primeira higienização dos cabelos e aprender como fazer o processo em casa. Por outro lado, a recuperação é rápida e o retorno ao trabalho pode ser feito em média dois dias depois.

Entretanto, é necessário alguns cuidados quanto à realização de exercícios físicos, pois o excesso de tensão sobre a cicatriz da sutura na área doadora pode gerar uma marca alargada. Em média, após duas semanas o paciente já pode retomar sua rotina normal. 

Outras orientações importantes para o pós-operatório do transplante capilar:

  • tenha um cuidado especial na lavagem dos fios: o couro cabeludo ainda está cicatrizando nas duas primeiras semanas;
  • evite a radiação solar, praias e piscinas durante esse período;
  • entre o 10º e 14º dia do procedimento, é preciso voltar ao consultório para a retirada dos pontos. A partir daí, é possível voltar à prática de atividades físicas mais pesadas;
  • cuidado com a alimentação: opte por refeições com pouco sódio e ricas em vitaminas e nutrientes;
  • durante o primeiro mês, evite peixes, frutos do mar, carne de porco e outros alimentos gordurosos ou alergênicos.

Transplante capilar antes e depois: é possível que haja rejeição dos folículos transplantados?

Não, pois todos os folículos transplantados são retirados do couro cabeludo do próprio paciente. Portanto, não há um “invasor” para ser rejeitado. Além disso, o transplante capilar é um procedimento minimamente invasivo, independentemente da técnica utilizada.

Há riscos de efeitos colaterais, como a cicatriz, o crescimento insuficiente e a queda dos fios transplantados. No entanto, isso é normal 15 dias após o transplante. Em torno de 12 a 14 meses após a realização do procedimento, o paciente terá o resultado definitivo do tratamento.

Entendeu como funciona o antes e depois do transplante capilar? Se você sofre de calvície e quer resolver o problema, entre em contato com a Clínica Mauad.

Dr Raul Mauad
  • Doutorado em Medicina (Clínica Cirúrgica) pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo-USP (2003).
  • Especialista em Cirurgia Plástica pelo Serviço do Professor Ivo Pitanguy (1996).
  • Médico formado pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (1990), com Residência em Cirurgia Geral no Hospital da Clínicas da FMUSP-RP (1992).
  • Em 2010, estagiou no mais conceituado Centro Oncológico dos E.U.A, Huston- Texax, MD. Anderson Cancer Center- Departamento de Cirurgia Plástica sob a tutela do Prof. Dr. Geofrey Robb.
solicite um contato