Tipos de implante capilar: qual o melhor?

A queda de cabelo é um mal que incomoda muita gente. Mesmo com tantos tratamentos e terapias disponíveis que prometem acabar com o problema, muitos são totalmente ineficazes e podem até ter efeitos contrários, que causam risco à saúde. No entanto, existem vários tipos de implante capilar capazes de acabar com a calvície de uma vez por todas. 

Utilizando fios naturais do próprio paciente, o transplante capilar é seguro, minimamente invasivo e altamente eficaz. Conheça os diferentes tipos e veja quais os que melhor se encaixam ao seu caso.

Quais as diferenças entre implante e transplante capilar?

O transplante capilar é um procedimento cirúrgico em que se faz a transferência de unidades capilares naturais para as áreas calvas da cabeça. Geralmente, o cirurgião remove esses folículos do couro cabeludo, mas também pode retirar de outras partes do corpo em casos específicos.

Já o  implante capilar era a inserção de fios sintéticos no couro cabeludo para simular o cabelo e cobrir a calvície. Muito utilizada antigamente, este método já não é tão utilizado por trazer riscos à saúde. Por isso, atualmente usa-se “implante” como sinônimo de transplante capilar, técnica segura e totalmente eficaz contra queda de cabelo.

solicite um contato

Quais os principais tipos de implante capilar?

Já falamos outras vezes aqui no blog sobre as principais técnicas utilizadas para o implante capilar, que são o método FUE e FUT. No entanto, existem outros métodos menos utilizados. Confira a seguir.

FUE Motorizado

O FUE (Follicular Unit Extraction) é uma técnica que consiste na retirada de fios de um folículo já existente para ser implantado em outro local. Em síntese, a versão motorizada é um tipo de implante capilar que utiliza um motor para coletar os fios. O aparelho, manuseado por profissionais especializados, faz a coleta por meio de uma pequena incisão circular no couro cabeludo ao redor do folículo capilar.  

Em seguida, o motor faz um furo com uma agulha microcirúrgica onde os enxertos serão implantados. Mas para realizar o procedimento, o paciente recebe anestesia local e a cirurgia pode durar mais de 4 horas, dependendo da área a ser transplantada.

Por ser uma técnica FUE, ela também exige a raspagem do couro cabeludo e é ideal para áreas com pouca rarefação. Mas ela também permite a retirada de unidades capilares de outras partes do corpo quando a região saudável (livre de calvície) não tem folículos suficientes para cobrir a parte calva.

FUE Robótico

Também utilizando como base o método FUE, este tipo de implante capilar é uma técnica mais aprimorada realizada com um robô que retira os enxertos fio a fio, evitando cicatrizes ou ponto no local. O método tem praticamente as mesmas vantagens do FUE Motorizado, porém permite realizar o procedimento em menos tempo.

Transplante de cabelo com fio longo

O transplante de cabelo com fio longo, também chamado de Preview Long Hair, é um tipo de implante capilar que usa os folículos sem a necessidade de cortar os fios do cabelo. Em síntese, o paciente não precisa raspar o cabelo para realizar o procedimento, como é feito em outras técnicas. Este método é muito procurado por mulheres com problema de calvície, visto que os fios caem somente após um mês da cirurgia.

Implante capilar com implantação DHI

A técnica de implante capilar com implantação DHI utiliza uma caneta de implante. O aparelho tem uma agulha na ponta que faz a remoção dos folículos capilares e a implantação dos mesmos simultaneamente. Ou seja, o folículo é removido da área doadora e, no mesmo instante, já é inserido dentro da agulha e implantado na área receptora.

Técnica híbrida

É a junção das técnicas  FUT e FUE para oferecer o melhor resultado ao paciente. Resumidamente, o cirurgião removerá uma faixa linear da região posterior do couro cabeludo e, concomitantemente, unidades capilares de outros folículos que não têm predisposição genética para a calvície.

Qual o melhor dos tipos de implante capilar?

Depende da necessidade do indivíduo. Quem tem pouca rarefação e baixa elasticidade no couro cabeludo vai se beneficiar da técnica FUE. Considerada menos invasiva por não ter incisão linear, a cirurgia deixa microcicatrizes puntiformes que serão cobertas pelos fios cobertos. Por isso mesmo, nos primeiros dias ela deixará “casquinhas” nesse formato, que cairão em pouco mais de uma semana. Ela também causa menos incômodo na região no pós-operatório. 

Por ser uma técnica mais trabalhosa, ela é mais demorada e pode exigir mais sessões. 

Já a técnica FUT é ideal para quem já tem uma boa região calva, já que a incisão linear pode ir de uma ponta a outra da região posterior do couro cabeludo. Com isso, o cirurgião tem uma boa quantidade de folículos disponíveis para distribuir na área rarefeita. Em uma mesma sessão, é possível obter mais de 7 mil unidades.  

Alguns pacientes relatam dor leve a moderada nos pontos extremos. Se a cicatrização não for bem-feita, será necessária uma cirurgia de correção

Raspagem dos fios

Todas os tipos de implante capilar exigem a raspagem da área doadora, ou seja, das laterais e posterior do couro cabeludo. Assim, o médico responsável pode visualizar e realizar o mapeamento digital dos grupos foliculares. 

A técnica FUE exige uma raspagem total do couro cabeludo, pois o cirurgião precisará remover folículos capilares de diferentes pontos para não deixar falhas. Já a FUT não necessita da raspagem total da área doadora, portanto quem gosta de manter os fios longos poderá cobrir a cicatriz com o cabelo..

Como escolher o tipo de implante capilar?

É importante salientar que cada um dos tipos de implante capilar citados tem suas particularidades, ou seja, a técnica escolhida vai variar de caso para caso. Por isso, o profissional deverá fazer uma avaliação criteriosa antes de indicar o melhor método para realizar o procedimento. 

É preciso, claro, levar em consideração as necessidades e preferências do paciente. Portanto, se for importante para ele manter os fios longos, a técnica FUT torna-se mais interessante; mas se não houver elasticidade no couro cabeludo, a FUE será a melhor opção.

Outro aspecto importante é que em todas as técnicas o cirurgião fará a remoção de cada unidade folicular com extrema delicadeza e precisão. Depois, ele vai separá-las com o uso de microscópios para, por fim, reimplantá-las nas áreas calvas. Todo esse trabalho deve ser feito formando uma linha natural na testa e criando uma densidade homogênea em todo o couro cabeludo.

Como visto, há diferentes tipos de transplante capilar. Para escolher o melhor em cada caso, é preciso fazer uma avaliação clínica e conversar com um especialista sério e já experiente nessas cirurgias.

Quer saber mais sobre o transplante capilar? Entre em contato com a Clínica Mauad e agende sua consulta.


Dr Raul Mauad
  • Doutorado em Medicina (Clínica Cirúrgica) pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo-USP (2003).
  • Especialista em Cirurgia Plástica pelo Serviço do Professor Ivo Pitanguy (1996).
  • Médico formado pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (1990), com Residência em Cirurgia Geral no Hospital da Clínicas da FMUSP-RP (1992).
  • Em 2010, estagiou no mais conceituado Centro Oncológico dos E.U.A, Huston- Texax, MD. Anderson Cancer Center- Departamento de Cirurgia Plástica sob a tutela do Prof. Dr. Geofrey Robb.
solicite um contato